a minha história

A vida colocou-me um desafio em mãos desde muito cedo: o sono. Uma actividade tão natural e essencial como dormir passou a ser, pelos meus 12 anos, a minha maior dificuldade. Passava as noites em claro, às voltas na cama. A altas horas da madrugada acabava por sucumbir e, quando podia, estendia o sono pela manhã. Passei a identificar-me como alguém que não dormia e simplesmente assumi que teria de viver assim.

Já na faculdade, ia muitas vezes assistir às primeiras aulas da manhã para depois voltar para casa e dormir mais um pouco. Como não sabia o que fazer e, principalmente, o que não fazer para lidar com a insónia, o meu padrão de sono piorava de dia para dia. Nessa altura, pela primeira vez, consultei a minha médica de família, que minimizou o problema e limitou-se a recomendar-me algumas técnicas de relaxamento. 

O meu sono foi-se deteriorando. Já não tinha apenas dificuldade em adormecer, mas em manter-me a dormir, ou acordava demasiado cedo, sem conseguir voltar ao sono. Chegava a ter mais de uma insónia na mesma noite. Aos 30 anos sentia-me desesperada, a viver eternamente com défice de sono. Pedi novamente ajuda e encaminharam-me para psiquatria. Experimentámos vários comprimidos até acertarmos no que funcionava melhor. Durante algum tempo, senti-me outra. Sabia que se tomasse o comprimido poderia finalmente dormir umas gloriosas oito horas de sono. Porém, com um sono induzido pelos fármacos, o meu descanso e qualidade de vida estavam longe do ideal. E esta falsa sensação de bem-estar foi sol de pouca dura. Sem surpresa, os comprimidos deixaram de funcionar.

Nessa altura, fazia cocktails de comprimidos e já nada me fazia dormir. Tinhas crises que se estendiam semanas a fio. Arrastava-me para o trabalho e no meu tempo livre não fazia mais além de estar com os amigos, quando conseguia, tentando manter minimamente uma vida social. Não tinha energia nem disposição mental para nada, para explorar os meus interesses, para me divertir. Não tinha objectivos e raramente lia um livro. Uma noite bem dormida era motivo de festa. Vivia em esforço, estava deprimida e permanentemente exausta.

Estava fechada num círculo vicioso em que tudo o que fazia apenas perpetuava um estado permanente de mal-estar.

Procurei, mais uma vez, ajuda, e um diagnóstico de insónia e depressão fizeram-me sentir, finalmente, compreendida. Nessa altura, tinha já iniciado um caminho espiritual e de desenvolvimento pessoal com a prática de yoga e meditação budista — práticas que me acompanham até hoje e que geraram uma enorme transformação interior e me ajudaram, de forma determinante, a ganhar consciência dos processos de depressão e ansiedade na minha mente e a lidar com eles.

Simultaneamente, estava cada vez mais interessada em encontrar formas naturais de cuidar de mim. Ganhei mais consciência em relação aos alimentos que ingeria, aos cosméticos que punha na pele, aos detergentes que usava em casa. Resolver os meus problemas crónicos recorrendo a medicamentos convencionais deixou de fazer sentido na minha filosofia de vida.

Pensei que se não ajudasse o meu corpo e mente a encontrar o equilíbrio nunca sairia daquele buraco negro. Decidi que iria libertar-me das insónias e vencer a depressão, sem comprimidos.

Tudo começou, gradualmente, a melhorar e hoje tenho uma caixa de ferramentas, cada dia mais completa, que me ajuda a ter uma vida infinitamente melhor do que alguma vez tive. Reencontrei o prazer de uma boa noite de sono e pude, finalmente, experienciar os extraordinários benefícios de dormir bem.

Hoje tenho a energia, a vitalidade e a clareza mental para desenvolver as minhas capacidades, definir e cumprir objectivos e sonhar cada vez mais alto.

entrevistas

DELAS.PT

11.07.2022

Dois às 10, TVI

11.07.2022

A Nossa Tarde, RTP

11.04.2022

Você na TV!, TVI

29.01.2020

Programa da Cristina, SIC

03.05.2019

a minha formação

Estudei Comunicação Social, no ISCSP, Lisboa e especializei-me em Gestão das Artes e Política Cultural, pela Goldsmiths, Londres. Queria ajudar os artistas a produzir e a divulgar o seu trabalho e a fazer chegar as artes ao público. Dediquei-me a esta missão durante quase 20 anos.

Comecei a praticar yoga e meditação há mais de 10 anos e fiz várias formações e retiros de yoga, meditação e inteligência emocional com o Sagara (Gonçalo Pereira), a Ana Ramos e a Liliana Nuño. Fascinada pelo poder terapêutico dos óleos essenciais, estudei Aromaterapia, no Instituto Português de Naturologia, em Lisboa. Na certeza de que queria ajudar os outros a ter uma vida mais saudável e consciente, certifiquei-me em Health Coaching pelo IIN — Institute of Integrative Nutrition, de Nova Iorque. Para me capacitar a ajudar os outros a vencer a insónia e a optimizar o seu sono, certifiquei-me em Brief Behaviour Therapy e Advanced Cognitive Therapy for Insomnia pela WINK Sleep, Adelaide, Australia, e em Sleep and Recovery Coaching (em curso).

Nas minhas muitas pesquisas, experiências e estudos sobre alimentação e estilo de vida conscientes, interessei-me pelo ayurveda — um sistema de medicina (provavelmente o mais antigo) que nasceu na Índia há mais de 3000 anos. Decidi aprofundar o estudo quando vi elencados e relacionados todos os meus problemas crónicos: insónia, depressão, ansiedade, distúrbios digestivos. Comecei, finalmente, a compreender a causa desses problemas. As recomendações de rotinas e estilo de vida do ayurveda têm tido um impacto profundo na minha saúde e bem-estar e, em especial, no meu sono. Encontrei neste conhecimento milenar as respostas que procurava e hoje utilizo-o como ferramenta nas minhas sessões de coaching para ajudar os outros a encontrar o equilíbrio, a dormir melhor e a ter uma vida mais saudável e feliz.